Home



Como vencer a depressão  
Olá, tudo bem, se você chegou nesta página é porque tem, ou conhece alguém que tenha depressão, mas antes de mais nada, segundo os psicólogos como é definida a depressão: nas últimas classificações psiquiátricas que se fizeram que as depressões se incluem no grupo dos «transtornos afectivos». A razão desta classificação não é outra que considerar como elemento característico da depressão a alteração da capacidade afectiva, patente não só no caso da tristeza (a primeira coisa em que pensamos quando se fala em depressões), mas também na incapacidade de dar ou receber afecto dos que nos rodeiam. A nosso ver e em poucas palavras, a depressão é uma evidente alteração da capacidade para captar, sentir e manifestar os afectos. A pessoa que tem depressão torna-se alienada a tudo e todos a sua volta, perdendo a capacidade até de manifestar-se como alguém que possui sentimentos em relação a tudo e a todos a sua volta, e é mais notória essa capacidade perdida em relação as pessoas amadas, principalmente a família.

Há de se ter paciência e muito amor para com o depressivo, pois sua capacidade e percepção do mundo que o rodeia está completamente desestruturado e na grande maioria dos casos, destruído. Há ainda em muitos casos da sociedade e família, a completa ignorância para aquele que sofre com a depressão, como comentários: você não tem nada demais, que é isso? pára de bobeira, você não está doente não, afetando ainda mais o depressivo, que se sente mais deprimido com a falta de compreensão e descaso da família e da sociedade em geral, amigos, colegas, conhecidos. Na igreja como em toda a sociedade pode manifestar-se ainda mais esta intolerância e ignorância, pois muitos na igreja desconhecem completamente esta doença, afirmando que a pessoa que está com depressão não tem fé para ser curada de tal mal. É triste, mas é verdade.

Se você tem depressão, ou conhece alguém que tem e precisa de ajuda, tenho uma boa notícia, Jesus pode curá-lo(a) sim, pode, Jesus tem poder para curar qualquer doença, talvez você saiba disto, eu também sei, agora, outra não tão boa notícia, mas talvez seja, toda doença tem tratamento, assim como a depressão, e todo tratamento de doença pode ter efeito positivo sobre a mesma, produzindo cura, mas em primeiro lugar é necessário orar, sim, pedir a Deus uma direção, e Deus dará a direção. E esta direção muitas vezes pode ser através de um médico, psicólogo ou psiquiatra, através de medicação e consultas regulares. Este que vos escreve é casado com alguém que teve depressão durante anos e hoje ela está bem, graças ao Pai, mas antes teve de ser diagnosticada a doença, e passado por um tratamento contínuo, que nunca parecia ter fim, mas teve, graças a Deus. Se você ou esta pessoa que você conhece está em um estado de completa indiferença a tudo e a todos, se visivelmente ela só vive em angústia ou tristeza profunda, e você já orou, clamou, chorou aos pés do Senhor Jesus, e nada, pode não ser que o Senhor não deixe de estar respondendo por estas linhas que você está lendo, procure ajuda psicológica ou psiquiátrica, peça a Deus para orientar o médico adequado, para que Deus ilumine o médico no diagnóstico, e no uso do remédio certo.





Não existem fórmulas prontas para cura da depressão, mas existe tratamento, que surte efeitos que possibilitam no dia-a-dia a pessoa que sofre com depressão, reintegrar-se a família, e a sua maneira de viver normalmente, alguns medicamentos surtem efeitos contrários fazendo com que a pessoa perca mais ânimo, e vontade de lutar, ou faça com que fique mais eufórica, ou parecendo já estar curada, é necessário uma grande dose no coração de amor e paciência durante seu tratamento.

A depressão tem sido contada como mal do século a
depressão é um dos males que com maior frequência os médicos tratam. Considera-se que de 10 a 20 % dos adultos apresentam sintomas depressivos e que de 2 a 5 % da população em geral sofre depressões que, sob o ponto de vista médico, podem ser claramente diferenciadas como entidade clínica.

Tomemos como exemplo a população da Espanha, de 4 a 8 milhões de espanhóis manifestam sintomas depressivos e que de oitocentos mil a 2 milhões padecem verdadeiros transtornos depressivos. Se extrapolarmos estas percentagens à população do planeta, o número de indivíduos com sintomas depressivos ou que padecem verdadeiros transtornos depressivos aumenta espectacularmente.

No entanto, para impedir erros de apreciação há que ter bem presente que com certa frequência há nos indivíduos reacções - como sentimentos de infelicidade, desmoralizações ou desânimos - que fazem parte da vida quotidiana, e que, conquanto indesejáveis, não devem ser etiquetadas como doenças. Apenas certos. comportamentos, que por agora só podem ser descritos clinicamente, mas que com o tempo serão objecto de novas abordagens, devem considerar-se propriamente depressivos.

Ainda quando o número de pessoas sofrendo este padecimento seja extremamente elevado mais elevado, por exemplo, que no caso da diabetes -, surpreende saber que são muito poucas as pessoas decidindo-se a pedir ajuda médica. Este comportamento explica-se de muitas e diversas maneiras, mas basicamente obedece a duas razões:

  • Há casos em que o paciente não identifica o seu padecimento e, sem dar conta, permite que o transtorno se oculte sob mal-estares orgânicos, como dores de cabeça, problemas digestivos ou sequelas de uma intervenção cirúrgica.
  • Há casos em que a pressão sociocultural e a educação recebida levam o indivíduo à conclusão de que «ele, sozinho, deve e pode resolver o problema».

Por estas razões, sabe-se que só 2 % das pessoas que padecem de depressões recorrem ao médico de clínica geral e unicamente 0,3 % se dirige ao psiquiatra.

Também se sabe que, de entre os pacientes que recorrem ao médico de clínica geral por diversos problemas somáticos, entre 10 a 20 % sofrem transtornos depressivos de caráter grave. Logicamente, entre os indivíduos que recorrem ao psiquiatra a proporção dos que padecem deste tipo de transtornos é mais elevada e calcula-se que mais de metade deles sofre algum transtorno depressivo manifestando-se em qualquer das modalidades que indicaremos.

OU SEJA É PRECISO PARA TRATAR DA DEPRESSÃO E CURÁ-LA, DEVE-SE PROCURAR AJUDA PARA LIDAR COM UMA DOENÇA TÃO FORTE E DESTRUIDORA SE ESTIVER EM UM ESTÁGIO AVANÇADO, leve em conta também que Satanás aproveita deste estado depressivo da pessoa para oprimi-la mais ainda com todo tipo de ataque espiritual, e creia amado(a) de Deus, JESUS veio para te dar vida em abundância e não é o desejo do Pai o seu sofrimento contínuo desta doença. Jesus quando esteve presente na Terra curou todo o tipo de enfermidade, e as características de doenças curadas por Ele, muitas delas eram doenças orgânicas e hereditárias, e muitas de alma, a depressão é um misto das duas, precisam da cura orgânica e de alma, o tratamento químico produz efeito no corpo, e mente, e o tratamento pela palavra de Deus através do amor, palavra, carinho, solidariedade através de irmãos, do seu pastor ou liderança espiritual, e de sua família produzirá efeito na alma, trazendo cura e restauração para aquele que está enfermo.

Deus te abençoe em nome de Jesus.
Márcio Guerrero
Ministro do Evangelho de Cristo (o que pelas pisaduras de Jesus foi também curado de muitas enfermidades).

Material de apoio (áudio) e um ministério e/ou profissionais para quem sofre de depressão (podem ajudar):

FAÇA O DOWNLOAD AQUI DA MENSAGEM A CURA DA DEPRESSÃO DO PASTOR RICARDO GONDIM (Uma mensagem fantástica de mais de 45 minutos)

FAÇA O DOWNLOAD AQUI DA MENSAGEM SOBRE VENCENDO A DEPRESSÃO DO PR. SILAS MALAFAIA


CPPC - Corpo de psicólogos e psiquiatras cristãos - Apoio psiquiátrico e psicológico para pessoas que sofrem de depressão.

Google
  
 



Copyright © CadêCristo. Todos os direitos reservados.